Com a intensidade das movimentações antirracistas no país nas últimas semanas (após o assassinato de George Floyd, nos EUA), surgiram pelas redes sociais ações que possibilitam, por exemplo, ajudar a pagar as taxas de inscrição do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) de estudantes negros e negras em situação de vulnerabilidade.

Os projetos fazem a ponte entre os voluntários e os candidatos sem condições de bancar os R$ 85 exigidos pelo MEC (Ministério da Educação). De acordo com o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), o prazo para o pagamento da taxa é até o dia 10 de junho e cerca de 300 mil inscritos ainda não quitaram o boleto que garante a participação no Enem.

Crédito: Marcello Casal JrAgência BrasilAções ajudam estudantes negros e negras que precisam de suporte financeiro para pagar a taxa de inscrição do Enem

Pretos no Enem

Uma dessas iniciativas é a Pretos no Enem, projeto idealizado pela publicitária cearense Lyara Vidal. O aluno que precisa de ajuda deve entrar em contato com a página pelo Instagram e enviar o boleto. Já os interessados em pagar devem preencher um formulário online com seus dados e quantos candidatos consegue ajudar. Feito isso, o voluntário deve esperar que enviem o boleto a ser pago.

Movimento Amplia

Com este mesmo objetivo, nasceu o projeto Movimento Amplia. Para participar da campanha de apadrinhamento/amadrinhamento de estudantes negros e negras que não foram contemplados com a gratuidade do exame é preciso acessar este link e preencher o formulário (disponível até 6 de junho). Jovens que precisam de apoio financeiro devem acessar o mesmo link. Nos próximos dias o apoiador receberá o contato de um estudante para esquematizar o pagamento da taxa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui