Por: Heinrich Aikawa/Instituto Lula

Em uma reunião intermediada por Camilo Santana (PT), governador do Ceará, Ciro Gomes (PDT) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva selaram as pazes, sinalizando a possibilidade de um acordo entre as agremiações de esquerda com foco na eleições presidenciais de 2022.

De acordo com o jornal O Globo, Lula e Ciro conversaram durante toda uma tarde no início do mês de setembro, na sede do Instituto Lula, em São Paulo. No papo, ambos exploram suas mágoas e discutiram a situação do país e do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), mas não costuram de maneira oficial nenhum tipo de tratativa para a próxima disputa eleitoral. Desde o encontro, após os acerto de contas, o petista e o pedetista mudaram o tom ao se referirem um ao outro.

O auge do conflito entre os líderes políticas se deu nas eleições de 2018, quando foram expostas as rachaduras em relação à candidatura petista a presidência do Brasil — inicialmente ocupada do Lula e posteriormente assumida por Fernando Haddad (PT) — e a chapa do PDT, encabeçada por Ciro Gomes. Além disso, um polêmico acordo costurado pelo PT na época custou à chapa pedetista o apoio do PSB na disputa presidencial. Como troco, no segundo turno das eleições, Ciro optou por viajar à Europa ao invés de estar na linha de frente da campanha de Haddad.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui