Iuri garantiu que o sucesso e dinheiro são fruto de muito trabalho

Quem ainda não viu um vídeo de Iuri Santos Abraão, ex-lavador de carro e motoboy? Falando assim talvez muitos não saibam de quem se trata, mas se a pergunta for quem conhece o Sheik Árabe, dono da marca de roupas e acessórios Emirados, rei da ostentação na Cidade Baixa, muitos saberão. Conhecido nas redes sociais por ostentar com mulheres, bebidas, em festas e passeios de jet ski Iuri tem 28 anos, é pai de dois filhos e casado com Gabriela.

SITE esteve na loja do empresário e ele contou com exclusividade sua origem, como surgiu esse apelido de Sheik, a ideia de  lançar a marca, o sucesso nas redes sociais e como ele hoje veste artistas e jogadores de futebol.

Antes do mundo de ostentação apresentado por Iuri diariamente em suas redes sociais, ele já passou por muitas dificuldades. Vindo de uma família de 6 filhos (cinco homens e uma mulher), foi criado pela avó porque a mãe trabalhava em casa de família e não tinha como sustentá-lo.

Ao falar da sua origem ele relembrou os momentos em que sonhava ter dinheiro: “Eu já fui motoboy, já fiz tanta coisa pra ganhar um dinheiro. Já cavei buraco pra ganhar um biscoito. Já lavei carro, moto, sempre fui sonhador, sempre pensei grande, em crescer e ser alguém na vida, em conquistar meus sonhos e meus objetivos e graças a Deus está caminhando. O sucesso e dinheiro têm sido fruto de muito trabalho”.

Questionado sobre a origem do apelido de Sheik ele explicou: “Eu saia com duas, três mulheres e meus amigos chegavam e falavam: velho quem é essa daí, aí eu dizia: uma mulher que eu fico. E a outra, questionavam eles? É minha amiga e tal, eu respondia. A galera então me apelidou como Sheik. Eles diziam: Pow você tem a pegada de Sheik, anda com muita mulher bonita, um harém. Aí comecei a pesquisar na internet e vi que o Sheik tem direito a ter sete mulheres e eu achei massa. Vi o nome Emirados, ligado a Sheik e resolvi lançar minha marca: Sheik Clothings e os Emirados e aí bolei com um irmão meu chamado Laerte Modas e começamos com essa marca”, relatou Iuri.

Durante a entrevista ele relembrou o início das vendas e relatou que não foi um caminho fácil: “Tudo começou na garagem da casa de minha avó. Eu era motoboy na época e pra complementar minha renda eu pensei em fazer algo extra, peguei um dinheiro que eu tinha juntado pra ir pra Feira de Santana, no Feiraguay e comprei umas coisas pra vender aqui em Salvador. Comecei a trabalhar na linha de roupas, relógios, sapatos e aí graças a Deus as coisas começaram a caminhar. Eu vendia na garagem da casa de minha avó”, disse.

Ele declarou ainda que: “Como as vendas aumentaram e muita gente procurava eu resolvi alugar uma casinha pra mim, com ajuda de meus avós e minha irmã eu fui pra um ponto em Pirajá. Vendi minha moto e comprei tudo de mercadoria pra colocar nesse ponto. Vendi tudo e fui pra São Paulo com meu amigo Tom, que me ensinou tudo lá, agradeço a ele até hoje por isso. De lá pra cá eu vim traçando, Deus no comando, os Emirados na frente e é pra lá que vai. Grandão, sem medo, destemido”, brincou.

Iuri ganhou notoriedade em Salvador por vestir artistas de bandas e jogadores de futebol. O VN perguntou como ele fez para ter acesso a essas pessoas e ele contou que: “Quando comecei um dos primeiros artistas a usar minha marca foi o cantor Pablo, aquilo ali pra mim foi um choque porque eu não esperava, eu não tinha dado nada a ele, ele estava no carnaval estourado, fazendo sucesso e quando eu vi meu boné na cabeça dele eu tomei um susto, foi um baque e aí eu pensei: Meu Deus será que agora vai? E ai começaram outros artistas e jogadores a comprar e usar. Coloco sempre Deus na frente. Hoje tenho uma amizade muito grande com Daniel Alves, já fiz o boné dele, Neymar também já gravou vídeo pra mim e estou caminhando”.

Veja o recado do jogador Daniel Alves para Iuri:

Ao ser questionado como ele que é casado leva o casamento e a fama de Sheik ele respondeu: “Gabi é minha esposa, está comigo desde o começo, sempre acreditou em mim, me ajuda, sempre me deu incentivo. No começo foi difícil, muita briga, muito fake fazendo intriga nas redes sociais querendo destruir meu casamento, mas o que Deus une ninguém mais separa. Aquelas meninas que andam com o Sheik são amigas, pessoas do bem, pessoas de respeito, e mulher  a gente tem que tratar com respeito, com amor e com carinho, então tudo faz parte do meu marketing”, disse.

Ele ainda completou: “Mesmo com esse título de Sheik só existe uma pra mim, meu amor, minha vida, a mulher que eu quero morrer junto, já temos seis anos juntos”.

VN ainda perguntou a Iuri se ele não tem medo da fama e do dinheiro acabar, ele declarou que: “sempre acreditei muito em Deus e a porta que Deus abre ninguém fecha, então se Deus permitiu pra mim essa oportunidade, visibilidade, vou seguir firme. Eu vim ao mundo pra ser diferenciado. Eu vim pra fazer história”, finalizou.

Veja recadinho de Iuri para os leitores do VN: