O Tribunal de Justiça da Bahia (TJ) decidiu converter, nesta tarde, em prisão domiciliar, a medida preventiva aplicada contra o advogado Orlando Freire de Assis, 29 anos, indiciado por duas tentativas de homicídio e porte ilegal de arma.
 
A decisão, por unanimidade, foi da Segunda Turma da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça, em Salvador. A defesa do réu usou como principal argumento o fato de o advogado não ter assegurado o direito de ficar custodiado em sala de Estado Maior, como prevê o estatuto da OAB.
 
A defesa do réu foi feita pelo advogado feirense Joari Wagner Marinho Almeida. O site Bahia na Política fez contato com ele, mas Joari não estava autorizado pela família a falar sobre o assunto.
 
Orlando é acusado de espancar e ameaçar de morte o investigador da Polícia Civil, Sérgio Roberto Souza Oliveira. Um vídeo que circulou amplamente nas redes sociais e programas de TV em toda Bahia mostra uma discussão seguida de briga entre os dois. Após conseguir derrubar o policial, o advogado ainda pegou a arma dele e, com ela, atirou na direção de um caminhoneiro que tentou conter o espancamento. 
FONTE: Bahia na Política

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui