Foto: Marcos Corrêa/PR

Informado na noite de domingo (31) pelo presidente do DEM, ACM Neto, de que a maioria dos deputados da sigla irão deixar de apoiar Baleia Rossi (MDB-SP) para votar em Arthur Lira (PP-AL) na eleição da Câmara, o então presidente da Casa Rodrigo Maia (DEM) disse a aliados que vai autorizar 59 pedidos de afastamento contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Segundo três pessoas próximas ao deputado, Maia afirmou que tem em mãos um parecer jurídico favorável ao processo e que pode ser usado pelo parlamentar para embasar uma eventual decisão nesse sentido. Lira é o candidato de Bolsonaro, enquanto Maia aposta em Rossi para substituí-lo.

A declaração de Maia teria sido dada também na noite de domingo, na casa dele, quando recebeu o comunicado de ACM Neto. Maia se reunia com líderes e dirigentes de partidos de oposição, como o PT, o PCdoB e o PSB, além do próprio MDB.

A decisão da Executiva do DEM de desembarcar do bloco de apoio Baleia Rossi (MDB-SP) deve ser seguida pelo PSDB e pelo Solidariedade.

A eleição que vai escolher a nova cúpula da Câmara e do Senado está marcada para esta segunda-feira (1º), portanto, último dia de Maia no cargo.

Integrantes da oposição que estavam na reunião apoiaram o presidente da Câmara e chegaram a dizer que ele deveria aceitar até mais de um pedido contra Bolsonaro. Com informações da Folha e do Estadão.