O ex-ministro e ex-juiz Sergio Moro conseguiu se inscrever na OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) do Paraná e já pode atuar como advogado.

O registrou saiu nesta terça-feira (15). Apesar disso, o ex-juiz está impedido de advogar após uma decisão da Comissão de Ética da Presidência, publicada em junho.

 decisão está relacionada à lei que dispõe sobre o conflito de interesse no serviço público.

A norma determina que pessoas que tenham exercido cargo de ministro, entre outros no alto escalão do governo federal, devem respeitar uma “quarentena” de seis meses antes de assumir emprego ao qual possam se valer de informação privilegiada.

Pela decisão, durante a quarenta, Moro receberá salário de ministro e está autorizado a dar aulas e escrever artigos, mas fica impedido de advogar.

De acordo com a OAB-PR, Moro tinha uma 1ª inscrição – de 1995. Não foi preciso passar pela prova da OAB para conseguir o novo registro.

À época, segundo a OAB-PR, não era exigido o exame da ordem. Era preciso apresentar uma comprovação de estágio que ele tinha registrado no órgão em 1993.

Um grupo de defensores havia se manifestado contra a inscrição de Moro alegando que ele desrespeitou a profissão de forma sistemática quando era magistrado.  Entre as reclamações está a instalação de grampos em telefones de advogados do ex-presidente Lula.

Em atualização

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui