Forró de raiz, forró modernizado, arrocha, romantismo. A mistura de ritmos vai, sem dúvidas, animar os dançadores de forró na segunda noite do São Pedro de Humildes, neste sábado. Serão quase dez horas de música.

O cantor Adelmário Coelho, com sua música alegre, seu forró modernizado, será uma – senão a maior – das atrações do dia. O forrozeiro e o público sabem que com ele no palco é quase impossível que quem está na pista ficar parado. É um mestre na arte de animar o público.

É sinônimo de alegria. Dono de voz peculiar e relacionado a grandes sucessos, Aldemário Coelho põe a turma para dançar com eletrizantes releituras de músicas do Trio Nordestino – a quem fez uma bela homenagem, das várias gravadas por ele e por muitos outros cantores de forró.

O público também vai dançar ao som tirado por Zé Araújo da sua sanfona, dedilhada com maestria pelo músico, que nunca abandonou o forró de raiz, também conhecido como pé-de-serra, onde nada sobrepõe a sanfona, que é acompanhada pela zabumba e o triângulo, mesmo que alguns instrumentos componham o cenário.

A noite terá, também, uma dose extra de romantismo, com as participações das duplas Os Clones e a formada por Naldinho e Leo Rios – esta última nasceu e cresceu no distrito. Se dançar coladinho é uma das premissas do forró, o arrocha mantém a mesma pegada. Também vai se apresentar o cantor Márcio Alves.