Os shows que tradicionalmente acontecem durante a Exposição Agropecuária de Feira de Santana (Expofeira) este ano não vão acontecer. A medida é para conter custos e segundo o prefeito Colbert Martins, cerca de 1 milhão de reais deve ser economizado. O anúncio foi realizado durante uma coletiva de imprensa na manhã desta sexta-feira (15).

“Esse valor economizado pode ser muito significativo em termos de 60, 90, até 120 dias. Em razão de diversas circunstâncias enfrentadas pelo município, a prefeitura de Feira de Santana reitera a realização da Expofeira, como sempre ocorreu e com objetivos claros. É uma festa de agricultura, de pecuária, mas decidimos suspender os shows em razão de economizarmos agora uma quantidade de recursos importantes”, destacou.

Com relação as festas juninas de Feira de Santana, Colbert Martins afirmou que foi mantido o mesmo valor de investimentos do ano passado. Segundo ele, nenhum corte atingiu essa festa, que será iniciada já na próxima semana.

Dificuldades do município

Entre as dificuldades apresentadas por Colbert Martins, está a situação do piso da cidade, que está bastante danificado devido as chuvas que estão caindo na cidade. Ele afirmou que o município terá que ter recursos para poder, assim que houver a possibilidade, recuperar todo o piso, o que conforme afirmou, terá um custo extremamente elevado.

“Nas minhas viagens a Brasília eu tenho pedido recursos da ordem de 10 milhões de reais, isso antes da paralisação dos caminhoneiros. Esse valor era para adquirirmos massa asfáltica. Hoje há uma decisão do governo federal de subsidiar o diesel e não sei quanto desse dinheiro vai sobrar, pois na hora de cortar, eles cortam exatamente do custeio e isso pode afetar novas obras”, declarou.

Entre as obras que podem ser afetadas, está o início das obras de duplicação da BR-116 Norte, que envolve o Anel de Contorno Oeste, em Feira de Santana. O prefeito Colbert lembra que se essa obra não começar até o dia 30 deste mês, só poderá ter início depois do dia 29 de outubro, depois do segundo turno das eleições.

Outras medidas para redução de custos

Além do corte de shows na Expofeira deste ano, a prefeitura de Feira também vai economizar com diárias, horas-extras, combustível e até mesmo papel.

“A prefeitura está imprimindo nas folhas de papel ofício na frente e verso. Isso nunca foi feito antes, então vamos economizar até papel. Essas medidas serão tomadas ao mesmo tempo e esses recursos economizados serão usados para pagamentos”, informou.

Colbert Martins garantiu o pagamento de todos os funcionários, fornecedores e contratos. Além disso, de acordo com ele, o dinheiro economizado será utilizado na compra de massa asfáltica para recuperação de vias da cidade.

“Essa redução visa que a prefeitura de Feira chegue ao final do ano pagando a todos os seus fornecedores, pagando a todos os seus funcionários e todos os seus contratos, rigorosamente em dias. Todos os contratos existentes serão honrados”, garantiu.

Demanda da educação

O prefeito Colbert Martins falou ainda sobre uma demanda no setor de educação. “Os professores estão neste momento com uma solicitação totalmente justa que diz respeito aos aumentos que eles têm direitos. A prefeitura pagou 2.8% referente a março e estamos devendo 4% ainda retroativos ao início do ano. Então são recursos importantes de serem mantidos”, afirmou.

Queda na arrecadação

A queda na arrecadação do IPTU também preocupa a prefeitura de Feira. Segundo Colbert Martins, durante o período da Copa do Mundo, a arrecadação no município tende a diminuir.

“O secretário Expedido Eloy mostrou que em períodos da Copa há uma redução de arrecadação, pois mesmo o Brasil não jogando aqui, há uma grande quantidade de interrupções de trabalho a exemplo do fechamento do comércio, em alguns momentos durante os dias de jogos do Brasil”, disse.

Natal Encantado

Com as medidas para contenção de gastos, o prefeito Colbert Martins acredita chegar ao final do ano sem a necessidade de cortes para a realização do Natal Encantado. Mas ele frisou que se as dificuldades persistirem, cortes também serão feitos na realização desse evento.

“Espero que não tenha necessidade. Essas economias de agora pode nos garantir chegar ao final do ano com recursos suficientes para a manutenção do Natal Encantado. Mas se as dificuldades financeiras continuarem, nós não teremos dificuldades em restringir qualquer festa. A prioridade é o pagamento dos contratos”, afirmou.

Com informações do repórter Paulo José do Acorda Cidade