Foto: divulgação/Secom PMS

Os casos de coronavírus devem cair na Bahia e chegar a quase zero em abril de 2021. É o que aponta o Departamento de Estatística da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), que montou um site para projetar a incidência da doença em todo o território nacional.

De acordo com a plataforma, o pico do coronavírus no Estado dos baianos foi registrado no dia 31 de julho, com variações entre os dias 25 de julho e 6 de agosto. No dia 30, a Secretaria de Saúde (Sesab) computou em seu boletim o recorde na estatística de infectados: 4.296, totalizando 161.630 confirmações. Na época, a pasta argumentou que a elevação “deve-se, exclusivamente, a um represamento temporário dos dados de Salvador”.

Passado o platô, pontua a UFMG, a tendência é que, a cada dia, menos pessoas sejam vítimas do vírus. Mesmo assim, fica o alerta: até 4 de novembro, mais de 1000 novos casos devem aparecer diariamente no Estado. Um mês depois, em 5 de dezembro, serão 519, uma redução de quase 50%.

É do segundo mês de 2021 que vem o alento. A projeção aponta que, depois do dia 21 de fevereiro, menos de 50 pessoas vão contrair a Covid-19 por dia.

Estimativa-de-Covid-na-Bahia

NACIONAL 

A nível de Brasil, a estimativa também é consoladora. A plataforma da UFMG aponta que o pico da Covid-19 aconteceu entre os dias 22 e 28 de julho, seguindo uma tendência de redução. No dia 1º de dezembro, calculam os estatísticos, o país deve ter em um só dia 8002 casos confirmados, número bem abaixo dos 41350 computados pelo Ministério da Saúde no último dia 30 de agosto, por exemplo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui