Um adolescente, acusado de ter praticando um duplo homicídio na cidade de Tanquinho na noite da última segunda-feira (25), se apresentou junto com um advogado na delegacia de Feira de Santana nesta quarta-feira (27).

Segundo a polícia, Celeste Cordeiro, 54 anos, um homem de prenome Naldo, e Luiz Fernando Cordeiro dos Santos, 20 anos, foram baleados após uma discussão com o adolescente. O corpo de celeste foi encontrado no quarto da residência, com tiros na nuca, Naldo foi encontrado sobre o sofá com tiros no pescoço, nuca e tórax, e Luiz Fernando foi socorrido para um hospital.

Ao Acorda Cidade, o adolescente afirmou ter sido dopado e disse não lembrar como cometeu o crime. “Eu ia dormir lá por que meu amigo me chamou. Ele me deu uma água e depois eu não lembro o que aconteceu. Depois que cometi o crime fui para o mato, fiquei lá um dia e meio. Eu matei com uma arma 38. Peguei essa arma, pois estava sendo ameaçado. Me mandaram um áudio dizendo que iam me matar, então comprei esse revólver por 1.200 reais”, relatou.

O advogado do adolescente, Armênio Seixas Cardoso Junior, disse que o apresentou na delegacia de Feira de Santana, devido a reprovação do crime na cidade de Tanquinho e por temer a segurança dele. Segundo o advogado, como ele não pôde ser ouvido em Feira, irá retornar para Tanquinho.

“Não vamos poder ser ouvidos aqui, pois o procedimento está lá em Tanquinho e na verdade viemos aqui para mostrar a boa fé processual dele, que quer colaborar com a justiça, se disponibilizando até para fazer exames para constatar que realmente foi dopado no momento da ação. Segundo as alegações dele, ele estava de posse de uma arma e as duas pessoas o doparam para tentar tomar a arma e praticar ações delituosas na região. Se ele diz que matou por que estava dopado por um remédio, a motivação não existe”, afirmou