Após as críticas ao governo do estado e ao governador Rui Costa, feitas pelo prefeito José Ronaldo durante uma reunião com a imprensa no último sábado (23), o deputado estadual e líder do governo, Zé Neto, saiu em defesa e classificou as colocações do prefeito como injustas.

“Acho que com essas declarações ele acabou mostrando quem ele é realmente, tratando o governador Rui sem nenhuma distinção e sem nenhum respeito. Eu fiquei triste, pois ele demonstrou quem ele é nos bastidores, pois a população não sabe que ele é assim, pensam que ele é bonzinho e que não fala mal de ninguém. Ele foi agressivo sem necessidade. Foi infeliz”, afirmou.

E continuou: “Achei estranho, pois o governador sempre o tratou com respeito, diferente do que ele fez quando era líder do governo na época de Clailton Mascarenhas, quando Clailton foi perseguido, não saía nada do governo do estado para Feira dentro do governo federal. Conosco é o contrário, todas as maiores intervenções do município são de recursos federais. Tem a Ayrton Sena, Minha Casa Minha Vida, a Praça da Matriz, a recuperação do Mercado de Arte Popular, entre outras”, citou.

Zé Neto respondeu ao prefeito sobre a intervenção que ele teria feito no BRT de Feira de Santana. Fato negado com veemência pelo prefeito, que chegou a falar em renunciar ao cargo, caso Zé Neto provasse tal colaboração.

“O BRT não tem dinheiro do estado, mas tem força minha e do governador para que nós não ficássemos para trás, pois em Brasília nada cai do céu. Tinham 104 municípios disputando o projeto e o projeto de Feira que venceu, não foi o que o prefeito fez. O projeto que foi aprovado em Brasília era o projeto que ligava o Tomba, o Sítio Novo, o Campo Limpo ao centro da cidade. O dinheiro veio e ele fez o que ele quis”, afirmou.

Zé Neto seguiu citando outras obras realizadas em Feira de Santana com a ajuda do governo do estado e lembrou que o prefeito José Ronaldo participou das inaugurações, subindo ao palanque ao lado do governador. Ele voltou a falar em ingratidão por parte do prefeito.

“Rui inaugurou o sistema de água de Ipuaçu, todo com recursos próprios do governo do estado, e a última etapa foi toda feita por Rui Costa. Todo o sistema de água que atende a mais de 2 mil famílias. O governador inaugurou e o prefeito subiu no palanque durante a inauguração, assim como subiu no palanque na inauguração do sistema de gás aqui da Embasa, no bairro Gabriela, e também entregou uma etapa do sistema de esgoto, feito durante o governo Rui”, disse.

Viaduto da Nóide Cerqueira

O prefeito José Ronaldo ainda afirmou, durante a reunião com a imprensa, que o governador Rui Costa não fez nenhuma obra em Feira de Santana durante os últimos três anos de governo. Ronaldo chegou a citar a obra do viaduto da Nóide, afirmando que a ordem de serviço foi dada durante o governo passado.

“Quem inaugurou o viaduto do retorno da Nóide foi Rui Costa, a ordem de serviço foi dada no final do governo Wagner, mas foi executada toda durante o governo Rui e, diga-se de passagem, Wagner e Rui são a mesma coisa. O prefeito também estava no palanque durante essa inauguração”, defendeu.

Outras obras

Outra obra destacada por Zé Neto feita por Rui Costa em Feira de Santana foi o prédio da Governadoria Geral do Estado, localizada ao lado do Hospital Lopes Rodrigues. Ele lembrou que durante essa inauguração, com a presença do prefeito, foi lançada a obra de construção da policlínica regional.

“Essa obra já está bem adiantada, com investimentos do governo do estado e somente a manutenção será feita por um consórcio de 28 cidades, incluindo Feira de Santana, que será a mais atendida com 40% dos atendimentos. Ele está esquecido que nesse mesmo dia também foi lançada a obra do Hospital Estadual da Criança (HEC), que já foi entregue”, disse, acrescentando que Ronaldo deveria agradecer ao governador Rui Costa.

“Está lembrando que nós sempre ajudamos o senhor? Que o Dom Pedro que o senhor fechou a obstétrica, fechou o pronto socorro, está funcionando hoje com cardiologia e dois núcleos de oncologia que foi conseguido pelo nosso governo? O senhor não pode reclamar, devia agradecer, pois não fizemos com o senhor o que o senhor fez com Clailton Mascarenhas, que foi perseguido naquela época, quando o senhor era líder do governo e o governo era de oposição de Feira”, continuou.

Centro de Convenções

O deputado Zé Neto também lembrou sobre o Centro de Convenções de Feira de Santana, que segundo ele, foi finalizada a segunda etapa, mas o prefeito se negou a ceder a propriedade do terreno. “Ele segurou e disse que só entregava se a gente desse três terrenos a ele. Rui nunca fez polêmica com o prefeito por isso e até hoje José Ronaldo não deu o terreno”.

Lagoa Grande

A obra da Lagoa Grande foi uma das mais criticadas por José Ronaldo, que afirmou que a obra está “incompleta, incorreta e que está prejudicando o meio ambiente, apesar de ser contada como um cartão postal de Feira de Santana”. Em resposta, Zé Neto reconheceu algumas dificuldades, mas falou em má vontade por parte do prefeito, já que não foi o município que realizou a obra.

“Eu sei que a obra está impactando alguns bairros, pois encontramos pedras no caminho. Então estamos há cinco meses com a discussão do que fazer. O governo vai concluir a obra, inclusive já tem outra empresa fazendo a parte pluvial, que era da prefeitura e ela disse que não ia fazer. Essa é a última etapa da obra, de três. Quando ele afirma que dizem que a Lagoa Grande é um cartão postal, isso demonstra má vontade, pois não foi ele que construiu. Dizem não, é um cartão postal da cidade e eu tenho orgulho de dizer que nosso projeto venceu o dele”, afirmou.

De acordo com Zé Neto, o município também fez um projeto, mas que previa apenas a recuperação da Lagoa, sem esgotamento, e o estado venceu por apresentar um projeto com esgotamento sanitário.
“Muito me estranha ele dizer agora que não recebe a obra porque não tem esgotamento. Agora estamos com uma dificuldade, pois o prefeito não quer assumir a parte de ligação elétrica, então vejam em que pé nós estamos”, declarou.

Polêmica da Ayrton Senna

Sobre a polêmica envolvendo a obra da Avenida Ayrton Senna, quando José Ronaldo negou recursos de emenda do próprio Zé Neto e de Fernando Torres, Zé Neto disse que “o prefeito passou 11 meses martelando para não ceder e depois conseguiu no apagar das luzes uma emenda com João Durval e fez uma avenida por metade do preço que seria feita”.

“A Ayrton Senna, que tinha um aglomerado de casas, nós relocamos as casas para um conjunto residencial na Mangabeira. Depois fizemos a parte de terraplanagem da avenida e ficou um senhor no meio da avenida, que só conseguimos retirar na Justiça. Quando a gente ia fazer a parte de asfaltamento e a avenida propriamente dita, arranjamos 10 milhões de reais, sendo cinco milhões do governo do estado e cinco milhões de uma emenda do deputado Fernando Torres, mas o prefeito preferiu fazer a obra com a metade do preço”, afirmou.

Com a recusa do prefeito, Zé Neto afirma que Fernando Torres teve que colocar a emenda para outro lugar. A emenda foi relocada para a intervenção do viaduto do Cajueiro para a Getúlio Vargas.

“Daí em diante começou a fazer a obra, veio a crise gerada por Temer, que é farinha do mesmo saco que José Ronaldo, ACM Neto e Geddel. Temer segurou o dinheiro e quero pedir ajuda a José Ronaldo pra liberar e a obra ser finalizada. O senhor não devia fazer isso com Fernando Torres, devia fazer o que a gente faz, que é trazer casas do Minha Casa, Minha Vida sem o senhor ter busc
ado uma sequer e ter entregue todas elas, inclusive 30% das casas estão na Justiça, pois a Polícia Federal está investigando se teve entregas irregulares. Tenha cuidado com o que vem pela frente”, disse.